domingo, 12 de outubro de 2014

Política–Bolsa Família

Eu tenho me mantido neutra e silente durante todo esse processo eleitoral, apesar de já ter me manifestado sobre política em outras ocasiões por aqui, porque tenho entendido que esse não é o fórum adequado e porque tenho percebido que as pessoas agem e reagem com paixão sobre o assunto, passando por cima da razão e do respeito pelas opiniões diversas. Dessa forma, chancelam o ditado popular que diz que “sobre política, futebol e religião, não se discute”. Eu acredito piamente que a diversidade de posicionamentos e opiniões, bem como o respeito por elas, são elementos imprescindíveis para uma real democracia e também são motores para a construção de um país melhor. É preciso respeitar as opiniões diferentes das nossas e sempre se posicionar, se optarmos por fazê-lo, de uma forma respeitosa e racional. Para ilustrar o que digo, já surgiu uma livre adaptação de belo verso, dizendo que “é preciso amar as pessoas como se não houvesse eleições”. Porém, hoje, não sei exatamente o motivo (pois já li inúmeros comentários sobre e nunca quis me manifestar), senti vontade de me manifestar sobre um assunto: o Bolsa Família. Entendo que há muita confusão sobre esse assunto. Vejo pessoas criticando duramente quem critica o programa, argumentando que são trabalhadores que se travestem como classe dominante que não são e criticam o programa porque querem que as pessoas retornem a uma condição de subalternidade, ou que criticam porque nunca enfrentaram dificuldades na vida, e demais argumentos que seguem essa linha de raciocínio. Pois eu critico o programa Bolsa Família. Sou trabalhadora, não sou classe dominante e não sou contra o programa Bolsa Família. Apenas sou contra a forma como o governo, há anos, conduz e administra esse programa.

O Bolsa Família, na minha opinião, é extremamente necessário como um primeiro auxílio, para retirar as pessoas de uma situação precária, para melhorar suas condições e para dar dignidade, pois ninguém consegue aprender ou trabalhar desnutrido, por exemplo. Porém, penso que, concomitantemente, é necessário haver meios e ferramentas (programas) de estímulo e incentivo para que essas pessoas cresçam e se aprimorem, despertem o desejo de impulso, de querer aprender e crescer para seguir conquistando cada vez mais e melhores condições e, para tanto, é necessário que tenham acesso à educação, à saúde, à segurança e a oportunidades de inserção no mercado de trabalho. A minha crítica é no sentido de que não me parece que o governo faça isso ou seja esse o objetivo real do governo. Pelo contrário, me parece que o governo subjuga essas pessoas através do programa, fazendo questão de mantê-las dependentes do programa. E dependência gera alienação, duas coisas que são exatamente o que não desejamos a ninguém. Portanto, eu, trabalhadora, quando critico esse programa, o faço justamente por acreditar que as pessoas podem e merecem mais, podem e devem crescer e ter cada vez mais e melhores condições e não admito, por considerar desumano e incabível, que as pessoas sejam subjugadas dessa forma. Mas é apenas a minha humilde opinião e quis manifestá-la porque penso que são motivos de crítica que nunca ganham voz, pois não vejo as pessoas justificarem suas críticas dessa forma, e precisam ganhar voz para que se entenda que algumas pessoas que fazem críticas não são necessariamente contra o Bolsa Família, mas acreditam que o programa possa ser aprimorado justamente para atingir o objetivo que parece ser comum: que todo cidadão possa ter cada vez mais e melhores condições e possa ter acesso à educação, à saúde, à segurança e ao mercado de trabalho.

Enfatizo, novamente, que eu respeito todas as opiniões e posicionamentos porque acredito que é essa diversidade necessária que assegura uma real democracia. Sei que, no momento em que me manifestei publicamente sobre o assunto, estou sujeita a receber comentários e acho muito salutar, apenas peço encarecidamente que sejam feitos com respeito de forma a contribuir para um debate realmente construtivo. Um bom domingo a todos!

domingo, 5 de outubro de 2014

Parece um sonho–Mário Quintana

 

Parece um sonho que ela tenha morrido! diziam todos...
Sua viva imagem tinha carne!... E ouvia-se, na aragem,
passar o frêmito do seu vestido...

E era como se ela houvesse partido
e logo fosse regressar de viagem...
- até que em nosso coração dorido
a Dor cravava o seu punhal selvagem!

Mas tua imagem, nosso amor, é agora
menos dos olhos, mais do coração.
Nossa saudade te sorri: não chora...

Mais perto estás de Deus, como um anjo querido.
E ao relembrar-te a gente diz, então:
Parece um sonho que ela tenha vivido!

Mário Quintana - 1953

Trinta dias…

Vóca amada, faz um mês que nos deixaste fisicamente. Sinto muito a tua falta todos os dias e creio que será assim enquanto eu viver. Porém, tenho certeza de que continuamos juntas, de uma outra forma. Depois do teu AVC, já tínhamos aprendido uma nova forma de nos relacionarmos, pois não podíamos mais ter as nossas longas e alegres conversas, sempre divertidas, mas também sérias quando o assunto demandava. Aprendemos a conversar de outra forma. Agora, estamos aprendendo de novo uma nova forma de nos relacionarmos: eu aqui no mundo físico e tu aí no mundo espiritual. Sinto a tua presença sempre e posso sentir a tua doçura e o teu amor, como sempre senti. E sigo conversando contigo todos os dias e também nas minhas orações. Eu só posso agradecer pelos 84 anos saudáveis que tu tiveste e que foram vividos plenamente. Tenho muita dificuldade para entender porque sofreste esse AVC e porque tiveste que passar por tantas limitações depois disso, mas imagino que deva existir alguma explicação além do meu entendimento. Agradeço por ter compartilhado contigo os meus 36 anos de existência e por ter tido sempre o teu amor, o teu carinho, o teu cuidado, o teu apoio, a tua amizade. Agradeço por ter recebido tantos ensinamentos, uma bela herança que levarei sempre comigo. Agradeço por ter sido sempre grata a todo esse amor e por ter tido a oportunidade de te retribuir te dando também muito amor em todos os momentos. Nos deixaste aos 85 anos, há um mês. Deixaste um vazio; porém, sempre o preencho com o nosso amor, que vai me amparar por toda a minha vida, e com todos os teus ensinamentos. Tenho certeza de que continuamos juntas e sempre continuaremos. Essas fotos contam um pouquinho da nossa história e sempre que as vejo lembro com ainda mais força de todos os bons momentos que vivemos e fico feliz por ter esse grande legado de belas e felizes lembranças. Te amo!

PS.: As fotos referidas no texto foram publicados no meu perfil pessoal do Facebook.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Sete dias…

Hoje faz uma semana que minha amada avó deixou o plano terrestre. Como no dia da sua partida, chove. Chuva que ela tanto aprecia e que me ensinou a também apreciar. Chuva que é bênção. Chuva que nos une, assim como o amor, a gratidão e a saudade. Saudade que é a prova de que tudo valeu a pena e de que o amor permanece. Amor que ampara e guia. Amor que traz doces e felizes lembranças. Amor que dá continuidade aos sábios ensinamentos transmitidos. Amor e gratidão que inunda o coração. Amor e gratidão que sempre existirão e que iluminam o caminho. Saudade, amor e gratidão que habitam minha alma e guiam os meus passos. Vó, minha vóca, sinto a tua presença que sempre me acompanhará. Jamais conseguirei falar de ti no passado, pois tudo és e seguirás sendo. Minha luz, meu amor maior. E estás sempre comigo. Sinto teu doce olhar, teu belo sorriso, teu afetuoso carinho, tua bondade e teu amor. Estás em mim e estou em ti. Para sempre. Te amo!

SAM_5559

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Um anjo retorna ao céu

Hoje nos deixou a mulher mais linda do mundo, a dona do olhar mais doce, do sorriso mais belo e contagiante, da alma mais pura, bondosa e generosa. Hoje o melhor ser humano partiu, deixando um imenso vazio, uma saudade eterna. O mundo fica mais triste, menos colorido. Um pedaço de nós vai com ela e um pedaço dela fica conosco. Sei que ela sempre estará por perto, nos olhando, nos cuidando, nos protegendo e nos amando, como sempre fez. Ela é o nosso exemplo, nossa base, nosso amor maior, nossa mestra. Sempre será. Ela agora está envolta em muita luz, livre de qualquer desconforto ou dor, cercada de anjos, anjos como ela. Nós só temos a agradecer por termos tido a honra, a sorte, a bênção e a felicidade de termos convivido com ela, de termos aprendido com ela, de termos dado e recebido tanto amor. Seguiremos sempre honrando tudo o que ela nos ensinou. Nosso amor, imenso, incondicional e infinito, continuará existindo, estejamos nós onde estivermos, assim como a nossa gratidão.

Vó, o amor que tu sempre me deste é que fez de mim quem sou, é esse amor que me sustenta e me ampara e assim será enquanto eu viver. Estaremos sempre juntas. Tu vives em mim, no meu coração, na minha alma. Tenho muito orgulho de ter sido tua neta, tua filha, tua amiga, tua parceira, tua cúmplice, tua confidente. Tenho muito orgulho de ter herdado tanto de ti: o amor pela vida, o amor pelas pessoas, a simplicidade, a bondade, a alegria, o prazer da leitura, o gosto pela cozinha, tantas e tão belas heranças. Tenho muito orgulho de ser parecida contigo em tantas coisas. Não chego nem perto de ser tudo o que és, mas és o meu exemplo sempre e, sendo eu um pouco parecida contigo, para mim, já é motivo de imensa felicidade. Te amo mais do que tudo e sempre vou te amar! Felicidade é ter estado ao teu lado durante esses meus 36 anos de vida! Sempre, em todos os momentos, ao teu lado. Muito rimos e choramos juntas, muito conversamos, sempre segurando a mão uma da outra. Seguiremos juntas. Sempre. Te amo, minha vóca! Te agradeço por tudo!

Encanta o céu, levando a tua doçura, bondade e generosidade, assim como encantaste a todos aqueles que tiveram o privilégio de te conhecer e conviver contigo durante os teus 85 anos de vida vividos de forma tão bela e exemplar, nossa Erciliany amada!

Avisamos aos amigos e familiares que o velório ocorrerá neste sábado, a partir das 10 horas, no Jardim da Paz, em Porto Alegre, na Capela A, sendo o sepultamento às 17 horas.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Uma experiência arrebatadora

Faz tempo que não venho compartilhar minhas impressões sobre algum espetáculo, apesar de estar sempre presente na platéia conferindo o que rola por puro amor e prazer. Ontem, porém, passei por uma experiência arrebatadora ao assistir à estréia de “A Vertigem dos Animais Antes do Abate” no Theatro São Pedro. Tão arrebatadora que senti necessidade de compartilhar.

Não via um trabalho teatral tão bom há tempos. É notória e emocionante a entrega dos atores às personagens. Tanto que eu imagino que eles terminem o espetáculo esgotados tanto física quanto emocionalmente. E nós, a platéia, chegamos ao fim do espetáculo encantados, arrebatados.

Infelizmente, na saída do teatro, no elevador da garagem, alguns casais que desceram conosco comentavam negativamente a peça. Inclusive, perguntaram a mim e ao meu marido se havíamos gostado ao que prontamente respondi que sim, muito. E logo vi narizes torcidos para mim… Os comentários diziam que a peça era doentia e uma das senhoras disse que nem ia conseguir dormir direito. Uma pena que não tenham conseguido captar a mensagem…

Realmente o espetáculo pode ser chocante para algumas pessoas pois trata da selvageria humana, daquilo que nos é mais primitivo, dos instintos. No entanto, o que o público precisa entender é que o fato de tais situações serem encenadas não significa que está sendo feita uma defesa desses comportamentos. Apenas está sendo retratada, como já disse, a selvageria humana, nosso lado mais primitivo. Talvez, se não tivéssemos tantos filtros, se não fôssemos civilizados, se todas as regras,  se todos os valores morais, se o ego e o superego saíssem de cena, nós agíssemos assim. Ou seja, seria o reinado do id. Talvez essas poucas pessoas que desceram conosco no elevador do estacionamento não tenham conseguido fazer essa leitura. Sinto muito por elas. Eu dormi muitíssimo bem, ainda encantada e tocada pelo belíssimo trabalho a que tinha assistido. E é justamente essa a maior beleza do teatro: tocar o público, provocá-lo, emocioná-lo. Missão cumprida com louvor!

A peça mostra uma tragédia grega (literalmente, com todos os elementos típicos) porém contemporânea. As atuações dos atores são brilhantes! A entrega dos atores às personagens é total e linda de se testemunhar. Inclusive, lembro de ter pensado durante o espetáculo no quanto era impressionante ter sido reunido um elenco tão perfeito, de tamanha qualidade. Atores bastante conhecidos do público, como Marcelo Ádams e Ida Celina, e outros nem tanto (pelo menos, menos conhecidos para mim), mas todos excepcionais e talentosíssimos! Cada um ocupando o seu devido lugar e, assim, fazendo um belíssimo trabalho de equipe, tal qual o teatro deve ser.

A montagem está mesmo maravilhosa! O cenário é simples e dinâmico, cumprindo seu papel e deixando que as emoções exploradas pelo texto e pelas brilhantes atuações reinem absolutas. A direção é de Luciano Alabarse, que dispensa maiores comentários ou apresentações, e de Margarida Peixoto. Para completar, a música casa perfeitamente com a ação na bela voz de Muni e com o piano de Everton Rodrigues.

O texto original é do grego Dimitris Dimitriádis e nunca havia sido montado no Brasil. Só o título já conquista: “A Vertigem dos Animais Antes do Abate”, mas havia tantas passagens interessantes que eu juro que senti vontade de abrir a bolsa, puxar papel e caneta e anotar algumas frases. Um exemplo: “As perguntas são os alicerces do mundo. Por isso mesmo devem ficar sem respostas.”

Eu amei! Dou nota máxima, recomendo e assistiria outras vezes com toda a certeza. Felicidade é teatro de qualidade!

Meu único pitaco seria quanto ao desfecho do espetáculo… Minha cabeça ficou imaginando que seria bastante interessante que no momento em que o personagem Nilos Lákmos diz a seguinte fala, na beira do palco, encarando o público: “Eu sou Nilos Lákmos. E vocês quem são?”, poderiam se apagar todas as luzes e terminar o espetáculo. Acho que seria impactante, arrebatador mesmo (mas, claro, é apenas minha humilde, leiga e delirante opinião). Afinal, para mim, esse é o grande lance da peça: você domina os seus demônios ou permite que eles dominem você?

Daniela Annes Spera – Porto Alegre, 04 de julho de 2014

#avertigemdosanimaisantesdoabate

 

************************************************

 

A Vertigem dos Animais Antes do Abate

Texto de Dimitris Dimitriádis

Direção de Luciano Alabarse e Margarida Peixoto

Elenco: Marcelo Ádams, Ida Celina, Elison Couto, Pingo Alabarce, Gustavo Susin, Áurea Baptista, Mauro Soares, Plínio Marcos Rodrigues, Alexandre Magalhães e Silva

Participação Especial: Muni e Everton Rodrigues

Theatro São Pèdro – de 03 a 13 de julho de 2014

domingo, 22 de junho de 2014

Dia 69: Felicidade!

 

Felicidade é o pudim de micro-ondas feito pelo meu amor! ‪#‎felicidade‬ ‪#‎365diasfelizes‬

Projeto Felicidade: atualizações

Descobri que não é fácil manter atualizadas tantas redes sociais: Blogger, Twitter, Facebook, Instagram. Logo, a maior parte das publicações do Projeto Felicidade estão concentradas no Facebook por ser a rede social que utilizo com maior frequência no meu dia-a-dia.

Gosto bastante de tecnologia, mas nem adianta me dizer que basta criar uma receita no IFTTT e tudo é feito de forma automática, porque, para mim, não seria possível compartilhar as atualizações do Projeto Felicidade dessa forma (afinal, são inúmeros conteúdos e não apenas os do Projeto).

Então, vou tentar colocar aqui uma atualização resumida (apenas texto) dos dias em que não houve publicação no blog e tentar publicar diariamente no blog daqui para a frente. Vejam bem, eu disse tentar.

Para quem quer lembrar ou saber como nasceu o Projeto Felicidade, basta clicar aqui.

Então, vamos lá!

Dia 33 – Sábado, 17 de maio: Felicidade é estar na cidade maravilhosa em ótima companhia!

Dia 34 – Domingo, 18 de maio: Felicidade é reencontrar os primos e colocar a conversa em dia!

Dia 35 – Segunda, 19 de maio: Felicidade é jantar com as amigas e dar boas risadas!

Dia 36 – Terça, 20 de maio: Felicidade é um banho quente!

Dia 37 – Quarta, 21 de maio: Felicidade é estar trabalhando e receber essas imagens dos meus amados enviadas pelo meu amado tio!

Dia 38 – Quinta, 22 de maio: Felicidade é assistir à Ópera de Pequim!

Dia 39 – Sexta, 23 de maio: Felicidade é passar a tarde com meus amados avós!

Dia 40 – Sábado, 24 de maio: Felicidade é estar em Buenos Aires e receber essas fotos dos meus amores!

Dia 41 – Domingo, 25 de maio: Felicidad es caminar despacio por las calles de mi Buenos Aires querido!

Dia 42 – Segunda, 26 de maio: Felicidade é celebrar o aniversário de casamento em Buenos Aires (além de estar casada com o meu melhor amigo)!

Dia 43 – Terça, 27 de maio: Felicidade é comer as medialunas do Café Rivas!

Dia 44 – Quarta, 28 de maio: Felicidade é estar viajando e ter uma amiga que garante os ingressos da programação cultural de junho!

Dia 45 – Quinta, 29 de maio: Felicidade é assistir a Eduardo Blanco e Luis Brandoni, dirigidos por Juan José Campanella, em Parque Lezama no Teatro Liceo!

Dia 46 – Sexta, 30 de maio: Felicidade é terminar de almoçar às 17h!

Dia 47 – Sábado, 31 de maio: Felicidade é rever uma amiga e fazer um novo amigo!

Dia 48 – Domingo, 01 de junho: Felicidade é assistir a um filme que te toca o coração!

Dia 49 – Segunda, 02 de junho: Felicidade também é voltar para casa!

Dia 50 – Terça, 03 de junho: Felicidade é ficar de mãos dadas com quem amamos!

Dia 51 – Quarta, 04 de junho: Felicidade (e bênção) é nutrir a alma com presenças amigas e afetuosas em nossa vida!

Dia 52 – Quinta, 05 de junho: Felicidade é cuidar de quem muito já cuidou de mim!

Dia 53 – Sexta, 06 de junho: Felicidade é saber que o bem atrai o bem e por isso sempre há anjos no nosso caminho!

Dia 54 – Sábado, 07 de junho: Felicidade é assistir a um espetáculo belíssimo no ainda mais belo Theatro São Pedro ao lado do homem amado!

Dia 55 – Domingo, 08 de junho: Felicidade é almoçar em família!

Dia 56 – Segunda, 09 de junho: Felicidade é ter a verdade a seu lado e ter a sua verdadeira família unida!

Dia 57 – Terça, 10 de junho: Felicidade é saber viver um dia após o outro com responsabilidade, coerência e com a certeza de que a verdade está a seu lado e de que não há mal que nunca acabe!

Dia 58 – Quarta, 11 de junho: Felicidade é ter um dia bom e perceber que há anjos por perto!

Dia 59 – Quinta, 12 de junho: Felicidade é ter um marido que é um maravilhoso namorado!

Dia 60 – Sexta, 13 de junho: Felicidade é minha amada vó ter tido alta do hospital!

Dia 61 – Sábado, 14 de junho: Felicidade é estar junto de quem se ama!

Dia 62 – Domingo, 15 de junho: Felicidade é passar o dia de pijama nos braços de quem se ama!

Dia 63 – Segunda, 16 de junho: Felicidade é uma xícara de chá e conversar com as amigas!

Dia 64 – Terça, 17 de junho: Felicidade é ficar à margem da Copa!

Dia 65 – Quarta, 18 de junho: Felicidade é conversar horas com uma grande amiga!

Dia 66 – Quinta, 19 de junho: Felicidade é testemunhar esse amor traduzido nessa bela cena!

Dia 67 – Sexta, 20 de junho: Felicidade é pizza e vinho!

Dia 68 – Sábado, 21 de junho: Felicidade é passar a tarde com meus avós, na companhia de minha tia querida e ainda receber flores de duas amigas queridas ao chegar em casa!

#felicidade #365diasfelizes

domingo, 25 de maio de 2014

25 de maio

Hoje faz um ano que a minha amada avó materna, Erciliany, a quem considero também como mãe, foi vítima de um AVC isquêmico na artéria média cerebral esquerda. Vivemos momentos muito difíceis e dolorosos, mas, felizmente, ela superou grandes dificuldades e permanece conosco e, apesar de ter ficado com muitas sequelas, está bem. Ela é uma heroína, uma guerreira, uma grande e forte mulher, minha mestra e meu exemplo. Era ela quem cuidava de meu amado avô materno, Gezerino, a quem também considero como pai, que desde 2010 foi acometido por Alzheimer. Apesar de ele também ter sentido muito o que aconteceu a ela e ter tido mudanças em sua rotina, felizmente ele também está bem, dentro de suas limitações. De lá para cá, minha vida mudou. Toda essa experiência foi transformadora em muitos sentidos. Quando vivemos algo assim, re-significamos muitas coisas em nossas vidas. Sempre fui uma pessoa que valorizou as pequenas coisas, inclusive porque eles me ensinaram a ser assim, mas isso ficou ainda mais forte. Não é fácil ver quem a gente ama sofrer, ou mesmo ficar com limitações. Porém, poder estar ao lado deles, ajudando-os, confortando-os, amparando-os, oferecendo minha presença, meu amor e meus cuidados é uma bênção. Eles sempre me deram muito amor nessa vida e continuam me dando. É esse amor que sempre me guiou e me amparou em cada passo da minha trajetória e que fez de mim quem eu sou. E é esse amor que sempre retribuí e continuo retribuindo com prazer e gratidão. Também é uma bênção ter ao meu lado, sempre ajudando e apoiando, o maior parceiro que eu poderia ter, o meu amado marido Marcelo. Também posso dizer o mesmo de minha amada mãe, Tânia, e de meus amados tios, Eduardo, Denise e Roselaine. Agradeço também ao meu amado pai, Ademir, e aos meus irmãos, Alexandre, Gabriela, Guilherme, Felipe e Isabela, que são também muito importantes em minha vida. Tenho certeza de que meus amados avós paternos, Diva e Arnaldo, que já nos deixaram, me acompanham todos os dias como dois anjinhos no céu. O carinho da minha família paulista, outro presente que ganhei ao me casar com o Marcelo, também é muito importante para mim. Agradeço também aos amigos e demais familiares que me acompanham e me apoiam com carinho (seria impossível nominar a todos, mas tenho certeza de que vocês se reconhecerão). Ao invés de fazer dessa uma data triste, a transformo numa celebração da vida, pois não há bênção maior do que ter ao meu lado minha família e meus amigos queridos. Família é tudo para mim, é a base e eu sou verdadeiramente abençoada e grata por ter uma família tão bela, tão amorosa e tão múltipla. Considero que os amigos verdadeiros são também minha família, a família de coração. Tenho muito a agradecer nessa vida e espero sempre poder retribuir a todas essas bênçãos. Além disso, tenho mais motivos ainda para fazer dessa uma data de celebração: nos dias 26 e 27 de maio, eu e Marcelo festejamos nosso aniversário de casamento! Por fim, há poucos dias, ouvi de um amigo que eu sou um anjo na vida de meus avós. É claro que fiquei feliz de ouvir essas palavras, mas respondi a ele que não, que os meus avós é que são anjos na minha vida. Muito amor para todos nós e um belo domingo!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

quarta-feira, 14 de maio de 2014

terça-feira, 13 de maio de 2014

segunda-feira, 12 de maio de 2014

domingo, 11 de maio de 2014

Dia 27: Felicidade!

 

Felicidade é celebrar em família o Dia das Mães! #felicidade #365diasfelizes

Dia das Mães!

 

Com essa singela homenagem para as minhas mães (minha mãe e minha vó materna), que é certamente menos do que elas merecem, homenageio a todas as mães. Feliz Dia das Mães para todas as mães, as biológicas, as de coração, as de criação! Feliz Dia das Mães a todas as mulheres, pois toda mulher é um pouco mãe: mãe dos próprios filhos, mãe dos sobrinhos, mãe dos afilhados, mãe dos filhos dos amigos, mãe dos irmãos, mãe dos primos, mãe dos próprios pais e avós (no belo ciclo da vida que se resume a cuidar e ser cuidado), mãe dos amigos, sempre mãe. Parabéns aos pais que também são mães! Que todas as mães tenham um lindo dia na companhia de seus filhos amados! As minhas mães sempre terão meu amor, minha admiração, meu respeito e meu cuidado, não só no dia de hoje mas em todos os dias da minha vida. Amo vocês!!! ♡♡♡♡♡

 

Mães2014

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Dia 25: Felicidade!

Felicidade é testemunhar meus avós se beijando (na boca) tendo 62 anos de casamento! #felicidade #365diasfelizes

quinta-feira, 8 de maio de 2014

terça-feira, 6 de maio de 2014

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Dia 21: Felicidade!

Felicidade é receber a notícia de que alguém que eu amo muito não desgruda de um presente que eu dei! #felicidade #365diasfelizes

domingo, 4 de maio de 2014

sábado, 3 de maio de 2014

sexta-feira, 2 de maio de 2014

quarta-feira, 30 de abril de 2014

terça-feira, 29 de abril de 2014

segunda-feira, 28 de abril de 2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

quarta-feira, 23 de abril de 2014

terça-feira, 22 de abril de 2014

Dia 8: Felicidade!

 

Felicidade é comprar os ingressos para o show da Omara Portuondo com 50% de desconto! #felicidade #365diasfelizes

segunda-feira, 21 de abril de 2014

domingo, 20 de abril de 2014

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Dia 4: Felicidade!

 

Felicidade é aproveitar o feriado para assistir a filmes com o homem amado! #felicidade #365diasfelizes

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Dia 3: Felicidade!

 

Felicidade é ganhar mimos especiais de Páscoa de amigas queridas! #felicidade #365diasfelizes

 

IMG_20140417_112844

quarta-feira, 16 de abril de 2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

Felicidade é…

 

Felicidade é sair para comprar um jeans novo e descobrir que você diminuiu um tamanho! #felicidade #365diasfelizes

Novo projeto: Felicidade!

 

Hoje decidi iniciar um novo projeto ao qual entitulo Felicidade!

Me considero uma pessoa otimista, sempre tento tirar algo positivo de tudo e acredito que a felicidade também mora nas pequenas e belas coisas cotidianas. Porém, com essa louca vida que vivemos atualmente, cheios de compromissos e tarefas, muitas vezes me sinto extremamente cansada, absorvida pelas dificuldades e até um pouco desanimada. Quando me pego nesses momentos, sempre reflito sobre as coisas boas: a começar por estar viva, por ter saúde, família, amor, amigos, trabalho, meios de me manter, um teto sobre minha cabeça, comida na mesa, roupas sobre o corpo e assim por diante. Me sinto grata e feliz. Pois é justamente desse processo que nasceu o novo projeto.

Confesso que, no meio de tudo isso, também lembrei de um projeto português muito bacana do qual sou fã, mas que terminou. O Felicidário. Parecido, mas diferente. Não conhece? Clica aqui.

A partir de hoje, a cada dia, publicarei um fato qualquer do meu dia que me faça feliz, desde os menores até os maiores acontecimentos. Será assim: Felicidade é…

E, assim, me lembro de um outro projeto ao qual tenho muito amor e que encantou a minha infância: o belíssimo Amar é…, de Kim Casali, que volta e meia habita os meus blogs.

Voltando ao Felicidade é…, estou me propondo a valorizar fatos felizes da minha rotina por 365 dias, começando hoje. Espero conseguir! E, como tudo que faço, o projeto é livre: poderá ter apenas palavras e poderá ter fotografias também.

Então, vamos lá! Bem-vindos ao Felicidade é… ou ao 365 dias felizes!

 

PS: As publicações devem rolar no blog e nos perfis do Facebook, Google + e Twitter. No Instagram, quando houver fotografias. #felicidade #365diasfelizes