sábado, 30 de março de 2013

Perda

O  mundo não mais me pertencia

E era difícil aceitar

Todas as paisagens não admiradas

Todos os livros não lidos

Todos os amores não experimentados

Todas as músicas não ouvidas

Todos os sabores não degustados

Todos os filmes não assistidos

Toda a existência me fora roubada

Injustiçada, mirava com receio o desconhecido

E o que me aguardava

Nada mais poderia fazer

Nada mais sentia ou pensava

Que triste é a finitude

 

09/08/2012

Ela estava perdida em seus pensamentos. Tão perdida que não sabia em que confiar. Memórias próprias, memórias alheias. Segredos, confidências, mentiras. O que era verdade e o que fora ilusão. Crença e decepção. E a certeza de que era preciso continuar. Mesmo que em vão.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Estranho

Quanto mais te aproximas, menos te reconheço

Não há nada em teu olhar que remeta ao brilho do passado

Não há em tuas mãos o menor sinal do antigo vigor

E na face envergonhada mal carregas um tímido sorriso

O que teria te acontecido?

Onde terias perdido o senso?

Por que terias vendido a alma?

Ou fui eu que nunca te conheci?

domingo, 24 de março de 2013

O país dos absurdos

Palavras de Vânia Brito, supervisora do ENEM no RS, na página 33 da Zero Hora deste domingo: "Nunca se falou em tolerância, mas em análise criteriosa da redação como um todo. Pode ter nota 10 com leves erros de ortografia. A norma prevê que, se é uma ótima redação, pode ter algum errinho."


Como é que é? Entendi bem? A fala é uma contradição total do início ao fim... E é absurda. Ou melhor, absurdamente contraditória. Como uma análise criteriosa poderia admitir erros de ortografia? Como uma ótima redação poderia possuir erros (ou mesmo algum errinho)? Como se poderia dar nota 10 para algo que tivesse erros de ortografia? Ah, sim! Claro! Passar todos a qualquer custo para que melhorem as estatísticas de escolaridade do país. Política que já vem sendo adotada absurdamente nas escolas públicas. Assim, o Brasil fica "bem na foto". E é com esse mesmo pensamento que se adota a Reforma Ortográfica que, na minha humilde opinião, é a formalização (ou a legalização) da ignorância e assassina o nosso belo português. Tudo isso é uma grande hipocrisia que, infelizmente, retrata o nosso país, pois essas práticas circulam em todas as áreas... Ah, meu Brasil... Que lástima!